Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina

terça-feira, 8 de junho de 2010

ANIMAIS ESPECIAIS

Quando vi esse vídeo agora há pouco no Brogui, não hesitei em colocá-lo aqui também, pois ele instantamente me remeteu a uma situação muito familiar. Explico: o gatinho feliz e brincalhão do vídeo tem uma doença chamada hipoplasia cerebelar, que lhe deixa com algumas dificuldades motoras, o que no entanto não lhe impede de viver tranquilamente e fazer as sapequices comuns a qualquer gatinho.



Assim como o caso citado, também tenho um cachorro deficiente, o Pequeninho. As pernas da frente dele são atrofiadas, se é que pode se dizer assim, e nem por isso ele deixa de interagir tranquilamente com tudo que o rodeia, muito pelo contrário. Por conta disso, ele desenvolveu muito mais as pernas de trás e corre, brinca e pula normalmente como qualquer outro cachorro.
Definitivamente, a deficiência de um animal, ou mesmo de uma pessoa, não deve ser empecilho para nenhuma ação, e muito menos para preconceitos de qualquer tipo. Eu mesma já nem lembro da deficiência do meu pequeno. O que ele me dá em troca é muito mais significante do que qualquer 'anormalidade' física.

Rafa